Traduzir esta página

segunda-feira, 23 de abril de 2012

NAMORAR VOCÊ



Quero namorar suas palavras e as outras que você copiou de alguém.
Quero namorar seus sentimentos, suas verdades.
Suas mentiras também.Quero namorar sua cultura e suas limitações.

Quero namorar suas formas.

E aprender a te namorar a cada vez que sua moldura for retocada pelo tempo.

Quero namorar sua voz e seu silêncio.

Suas conclusões e suas interrogações. Suas dúvidas e suas certezas.

Seus anseios, seus receios, suas vontades e suas coragens.

Seu céu e seu inferno. Poder sustentar suas nuvens e amenizar as chamas que lhe consomem.

Amar seu circo, seu palco, seus naufrágios e seus vôos.
Gargalhar contigo, interpretar também.
Afundar de mãos dadas e flutuar sem rumo.

Quero namorar seus sonhos e aliviar seus pesadelos.
Quero amarrotar seus lençóis, e acordar do seu lado.
Sorrir, quando a colcha cobrir somente seu corpo e aceitar o frio em detrimento do seu conforto.
Quero dormir de costas, pela simples realidade de confiar no outro lado da cama.

Quero perceber o brilho dos seus olhos, para poder realizar todos os seus pequenos sonhos.
E dar tudo de mim para realizar os grandes também!
Quero ser seu único. Seu diamante perfeito. Sua pedra preciosa.
A jóia que você queira usar nos melhores momentos da sua vida.


Quero desfilar contigo, sempre ao lado!!

Mas quero aprender a ser coadjuvante quando a individualidade lhe for necessária.
Ser inteligente para elogiar o outro que levou teus olhos e sutil o bastante pra esconder de ti a outra que levou os meus.

Quero estender sua toalha e recolher seus sapatos.
Quero lavar nossos pratos.
Quero saber seus tantos e seus quantos, como e onde.
Quero venerar seus Santos.
Ir à missa aos domingos; aos cultos.
Jurar as mesmas juras, pedir as mesmas graças, chorar nos mesmos cânticos.
Quero criar seus filhos, ainda que já sejam seus.

E que eu consiga descobrir todas essas coisas logo nos primeiros dias e as revele homeopaticamente.
Na medida certa da cura de qualquer um dos seus males, tanto quando na floração de cada uma das suas virtudes.

E se, ainda assim, eu não conseguir ser suficiente, descobrirei coisas novas, além daquilo que você tenha pensado ou desejado.


Por fim, depois de tentar lhe fazer única, quero partir por último, para não lhe causar a dor de chorar por mim.

Autor: Mozart Boaventura Sobrinho

7 comentários:

  1. Lindo ... lindo ... lindo ...
    Depois desse poema não há o que falar ...
    Tudo já foi dito!
    Mozart que Deus te abençoe e continue te iluminando para tanta beleza e inspiração com as palavras!
    Um beijo no seu coração!

    ResponderExcluir
  2. Eu realmente amo esse texto. Mas você tem um jeito todo especial de exalta-lo. Acho maravilhoso como você se refere a estas palavras.

    ResponderExcluir
  3. Depois de um lindo texto como este, ainda há o que dizer?
    Querido, simplesmente perfeito!
    Uma leitura simples, mas profunda...
    Exaltando o desejo de amar incondicionalmente ao outro, sem receios, sem porque, apenas por existir um sentimento, mais forte que qualquer explicação.
    Parabéns meu bem...
    Beeijo

    ResponderExcluir
  4. Obrigado anjo. Tentarei escrever novas coisas nesse nível.

    ResponderExcluir
  5. Olá Mozart!

    Sem palavras para descrever a emoção que é ler esse deleite em suas palavras. OBRIGADA!!! Pela sua inspiração, suavidade e ternura ao discorrer pelo mundo das emoções tão latentes...
    Não é fácil externalizar o que sentimos, você o fez com maestria.

    Parabéns!!!!

    Abraço com carinho e gratidão por compartilhar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo lindo comentário Stella Petra. Me perdoe pela demora em responder. Visões assim sobre o que escrevemos só inspiram escrever mais e melhor. Mas talvez esse texto seja mesmo "insuperável". :)

      Excluir